ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pergunta | Resposta]

Onomágulo: uma transcrição do grego

[Pergunta] Eu e outros colegas meus da Wikipédia recentemente estivemos a discutir qual a melhor forma de grafarmos no português Ὀνομάγουλος, do nobre bizantino Βασίλειος [Basílio] Ὀνομάγουλος. Eu havia sugerido "Onomágulo", pois além de remover o ditongo "ou", também retira o "s" final, tal como em Paleólogo, e ao mesmo tempo preserva o acento grego. Porém, não acho, ao menos online, nenhuma fonte com tal acepção, havendo apenas algumas poucas fontes italianas para Onomagulo, e outras tantas em línguas variadas, em especial inglês, que usam transliterações mais literais (Onomagoulos) ou bem estrambólicas (Onomagulous). Dai a dúvida, é válido o uso de "Onomágulo", ou ao menos a variante italiana na ausência de uma outra melhor?

Renato de Carvalho Ferreira :: Estudante de História :: São Paulo, Brasil

[Resposta] A questão levantada pelo consulente prende-se com a chamada romanização da língua grega, ou seja, com a representação, por meio do alfabeto latino, de palavras ou textos escritos em carateres gregos. Existem vários sistemas de romanização, consoante o idioma original (grego antigo ou grego moderno) e o objetivo da romanização (transliteração ou transcrição).

A transliteração é uma transposição grafémica que visa sobretudo permitir a recuperação da grafia original a partir do texto transliterado. No caso do grego antigo, existem basicamente dois sistemas: o tradicional, que se baseia nas transcrições latinas de palavras e textos gregos, e o científico, mais recente, que é totalmente reversível, ao contrário do sistema tradicional, pelo que pode considerar-se mais fiel. No entanto, as diferenças entre estes dois sistemas são mínimas, circunscrevendo-se apenas à representação de três sons consonânticos (ζ, κ e χ), da duração das vogais e dos dígrafos vocálicos.

A transcrição de palavras do grego antigo para português, bem como para as restantes línguas novilatinas, implica normalmente certa adaptação morfológica, a par da fonética. Por norma, os cultismos gregos usados em português são transcritos e não transliterados. Embora existam normas gerais de transcrição, baseadas sobretudo nas transcrições latinas, há palavras, geralmente de uso frequente, que seguiram outro sistema ou via de transcrição.

No caso em apreço, a romanização do antropónimo Ὀνομάγουλος poderá fazer-se de três formas diferentes:

Transliteração tradicional: Onomágulos
Transliteração científica: Onomágoulos
Transcrição portuguesa: Onomágulo

 

Como termo de comparação, apresento também a romanização do nome próprio deste governante bizantino (Βασίλειος):

Transliteração tradicional: Basílios
Transliteração científica: Basíleios
Transcrição portuguesa: Basílio

   

Por último, apresento a romanização do nome de um dos mais conhecidos filósofos gregos (Σωκράτης):

Transliteração tradicional: Sokrátes
Transliteração científica: Sōkrátēs
Transcrição portuguesa: Sócrates

 

No que diz respeito à romanização de nomes gregos na Wikipédia, permito-me fazer as seguintes recomendações:

1) Descartar de vez a transliteração tradicional, por existir outra mais moderna e mais fiel.

2) Não misturar, no mesmo nome, nomes transliterados com nomes transcritos. Por exemplo, a romanização “Basílio Onomágoulos” mistura um nome transcrito (Basílio) com outro transliterado (“Onomágoulos”).

3) Na medida do possível, transcrever todos os nomes e apresentar a respetiva transcrição científica. Por exemplo:

«Basílio Onomágulo (em grego: Βασίλειος Ὀνομάγουλος, tranl. Basíleios Onomágoulos; m. 717) foi um governante bizantino [...]»

Esta recomendação, no entanto, não fica imune a objeções. Na verdade, há certos nomes gregos (por exemplo, Ὀνομάγουλος) que são praticamente desconhecidos entre nós, e cuja romanização nem sequer figura nos mais reputados dicionários latinos. Por isso mesmo, é natural que certos wikipedistas prefiram não transcrever (ou seja, aportuguesar) esses nomes e optem por transliterá-los, mesmo correndo o risco de misturar nomes transcritos com nomes transliterados. Nesse caso, importa que, pelo menos, a transliteração seja feita de forma rigorosa e consistente.

Em relação à “variante italiana” mencionada pelo consulente, refira-se que a língua italiana, ao contrário da portuguesa, não acentua graficamente os vocábulos esdrúxulos, pelo que não se poderá inferir que Onomagulo, em italiano, só por lhe faltar o acento gráfico, deva ler-se como se fosse um paroxítono...

Gonçalo Neves :: 23/04/2014

[Léxico]
Termo vs. término
Arrasante e arrasador
Onomágulo: uma transcrição do grego
O significado da expressão «de vão de escada»
«Brincar de bola»
A família de palavras de frio e frigorífico
A grafia e o significado de guaiuba
O uso de transplantado por metonímia
Mantícora
A origem do apelido/sobrenome Carrapatinho

Mostra todas

Ciber Escola Ciber Cursos